Publicidade
Publicidade
Publicidade

Diretor: Paulo Melo Terça-feira
30 de Maio de 2017
Publicidade

Vigilantes recolhem dados para definir carga turística nos monumentos naturais dos Açores

Os vigilantes da natureza estão a proceder nos Açores, na sequência do incremento do turismo, à recolha de dados para definir a melhor carga turística em cada zona protegida, por forma a salvaguardar o ambiente.

Texto: Lusa / Açores 9 | Foto: Direitos Reservados
Visualizações 4317

“Nos últimos três anos, temos tentado aumentar a fiscalização no terreno devido ao aumento da pressão turística, principalmente aos fins de semana, tentando ter uma fiscalização ‘in loco’, a par da recolha de dados, todos os anos, para determinar a melhor carga turística em cada zona protegida”, declarou aos jornalistas Kenny Alves, porta-voz dos vigilantes da natureza nos Açores.

O vigilante da natureza, que falava em Ponta Delgada, na ilha de São Miguel, à margem do III Encontro Regional dos Vigilantes da Natureza, declarou que estes profissionais têm sido confrontados com o “abandono de resíduos” em espaços naturais, mas salvaguardou, contudo, que os turistas estão “bastante sensibilizados” para as questões ambientais.

Kenny Alves considerou ser “positivo ter mais vigilantes”, nomeadamente duas equipas, constituídas por dois elementos cada, para cobrir mais área na ilha de São Miguel, onde o cenário de depósito de resíduos tem “melhorado bastante”.

Kenny Alves afirmou que os monumentos naturais da ilha de São Miguel que despertam maior preocupação são a Ponta da Ferraria, nos Ginetes, Caldeira Velha, na Ribeira Grande, e a Gruta do Carvão, em Ponta Delgada.

O vigilante disse que, em termos de áreas protegidas, a Lagoa do Fogo, a que 170 pessoas acedem diariamente, é uma das áreas “bastante procuradas”, a par das Sete Cidades e Furnas.

Atualmente, os Açores têm 123 áreas protegidas integradas nos nove parques naturais de ilha.

A secretária regional da Energia, Ambiente e Turismo, que interveio no III Encontro Regional dos Vigilantes da Natureza, anunciou que, ainda em 2017, vai ser aberto concurso para a admissão de mais vigilantes da natureza para São Miguel e, em 2018, serão reforçados os efetivos nas ilhas Terceira e São Jorge.

“Atualmente, o corpo de vigilantes da natureza dos Açores é composto por 32 elementos, estando a decorrer os procedimentos para a contratação de mais quatro: dois para o Pico, um para as Flores e um para o Corvo, levando, finalmente, os vigilantes a todas as ilhas e parques naturais”, declarou Marta Guerreiro.

A responsável pelo Ambiente referiu que estão a decorrer, neste momento, os procedimentos para a aquisição, ainda este ano, de mais quatro carrinhas elétricas para os parques naturais da Terceira, Graciosa, Faial e Pico.

“Espera-se, ainda, que em 2018 o programa de mobilidade elétrica seja estendido ao parque natural do Corvo e contemple o reforço das ilhas de São Miguel, Terceira, Faial e Pico com mais uma viatura cada”, disse.

 


Publicidade Escritório Digital – interior noticia

Opinião


Meteorologia

Tempo Ponta Delgada